Editado por Mário Melo Costa

No Cinema City, Acácio de Almeida aip e Hugo Azevedo a propósito de ALVA.

January 14, 2020

Como parte da estreia de ALVA, a produtora TERRATREME está a planear algumas sessões especiais, comentadas por profissionais das áreas diferentes e no dia 17 de Janeiro, vão ter uma sessão com Acácio de Almeida aip e Hugo Azevedo no Cinema City Alvalade em Lisboa.

 

ALVA, DE ICO COSTA
ESTREIA NOS CINEMAS A 16 DE JANEIRO 2020

 


Alva, a primeira longa-metragem de ficção de Ico Costa, vai estrear nos cinemas portugueses no dia 16 de janeiro 2020 nas várias salas em pais:

 

 

 

Cinema City Alvalade às 19h00

 

Cinema City Leiria às 19h40

 

Cinema Trindade no dia 22 de Janeiro às 21h30 * sessão única comentada por Adolfo Luxúria Canibal

 

Cinemas NOS Alma Shopping (Coimbra)

 

 

 

Sessões especiais:

 

Cinema City Alvalade às 19h00

 

16 Janeiro Ico Costa e Equipa do Filme

 

17 Janeiro conversa com Acácio de Almeida e Hugo Azevedo

 

18 Janeiro conversa com Vasco Câmara (editor do Ípsilon/Público)

 

 

Depois da estreia absoluta no Festival Internacional de Cinema de Roterdão e da exibição em vários festivais internacionais, este filme coproduzido pela Terratreme, Oublaum (PT), Un Puma (AR) e La Belle Affaire Productions (FR), foi rodado no interior de Portugal, nas margens do rio que lhe dá nome. O filme recentemente recebeu três prémios (Melhor filme, Melhor montagem e Melhor som) no Festival Caminhos do Cinema Português.  

Em Alva seguimos a história de Henrique, um homem solitário, que foge para a floresta depois de ter cometido um crime. O espectador vê-se transportado para um espaço de solidão e de fuga, onde as imagens serenas da natureza se confundem com a inquietação do protagonista. A desertificação do interior, a violência nos meios rurais, o divórcio e a separação dos filhos são alguns dos temas abordados pelo filme.

Ico Costa realizou as curtas-metragens Libhaketi (2012), Quatro Horas Descalço (2012), Corrente (2013), Antero (2014) e Nyo Vweta Nafta (2017), e o documentário Barulho, Eclipse (2017). O seu trabalho tem vindo a ser exibido em vários festivais, como Semana da Crítica em Cannes, Locarno, Roterdão, Roma, Cinéma du Réel, New Directors/New Films, Oberhausen, Jihlava, Vila do Conde, IndieLisboa, DocLisboa, entre muitos outros. Alva é a sua primeira longa de ficção.

 

assista ao trailer

 

Alva
2019 | ficção | 16mm | 98’ | Portugal, Argentina, França

SINOPSE
Após cometer um crime, um homem refugia-se na floresta. Rodado no centro de Portugal, em 16mm, o filme acompanha Henrique, um homem solitário em fuga da sua vida e do mundo. Num estilo progressivamente imersivo vemo-nos transportados para esse espaço de solidão, questionando-nos sobre o que realmente move o protagonista.

FICHA TÉCNICA
com HENRIQUE BONACHO
realização ICO COSTA
direcção de fotografia HUGO AZEVEDO
direcção de som DAVID BADALO
montagem FRANCISCO MOREIRA, ANA GODOY
correcção de cor ADA FRONTINI, RITA LAMAS
montagem de som MARCOS CANOSA
mistura JOAQUÍN ROSSON, SIMON APOSTOLOU
produtores JOÃO MATOS, JERÓNIMO QUEVEDO, JÉRÔME BLESSON, ICO COSTA
produção TERRATREME, UN PUMA, LA BELLE AFFAIRE PRODUCTIONS, OUBLAUM


Sessão especial 17 de Janeiro

No dia 17 de Janeiro, no Cinema City Alvalade (Av. de Roma 100, 1700-035 Lisboa) com o horário às 19h00, a sessão do filme ALVA do Ico Costa vai ser acompanhada por uma conversa com diretores de fotografia, Acácio de Almeida e Hugo Azevedo.

 

Acácio de Almeida, diretor de fotografia. O seu trabalho está intimamente associado aos realizadores do Novo Cinema como João César Monteiro, Ricardo Costa, Jorge Silva Melo, António da Cunha Telles, Paulo Rocha, Seixas Santos, João Botelho ou Manoel de Oliveira.

 

 

 

Hugo Azevedo 

 


Português, nascido em 1981. Formou-se na Escola Superior de Teatro e Cinema e desde 2003 que desenvolve uma carreira no cinema que conta com a participação em mais de 50 filmes, nos quais se destacam os seus filmes como director de fotografia, como “Farpões, Baldios” de Marta Mateus, vencedor do festival de Vila do Conde de 2017, “Viveiro” de Pedro Marques, vencedor do festival Doclisboa de 2019, “Pedro” de André Santos e Marco Leão, primeiro filme português a estrear no festival de Sundance, ou “Nyo Vweta Nafta” de Ico Costa, vencedor do Festival Cinéma du Réel em 2017 e do prémio de melhor fotografia no festival Zobroffka International Film Fest na Polónia.

Please reload

Segue-nos
  • Facebook Social Icon
Notícias Recentes

March 7, 2020

Please reload